Um fato é certo. Se você quer ser um bom roteirista, precisa escrever bem. E se quer ser um bom escritor, precisa ser um bom leitor. Todos os escritores e roteiristas repetem isso incansavelmente. E têm razão. Para quem quer se tornar um roteirista profissional, há uma vasta literatura sobre o tema.

E aqui no Blog Inspire-se você vai conferir seleções de livros importantes, que vão te auxiliar no processo, desde a escrita tradicional, com orientações práticas, como no clássico Manual do Roteiro, de Syd Field, mas também  obras mais subjetivas que abordam o processo criativo pessoal, com dicas importantes para a fase da inspiração, da criação e da escrita, como Em Águas Profundas, de David Lynch; e até mesmo Sobre a Escrita, do aclamado Stephen King.

Confira abaixo cinco livros que selecionamos para você que quer começar a escrever um roteiro e precisa de dicas básicas. E também para você que já começou, mas que busca uma inspiração maior:

Manual do Roteiro (Syd Field)

“Muita gente se questiona sobre o valor, ou necessidade, de fazer pesquisa. Até onde posso opinar, pesquisa é absolutamente essencial. Todo texto exige pesquisa e pesquisa significa reunir informação. Lembre-se: a parte mais difícil de escrever é saber o que escrever.”

Um dos pontos importantes para a criação do roteiro e para a construção do personagem, é a pesquisa. Esse e outros pontos são destrinchados pelo mestre Syd Field, que na visão da crítica especializada, é um dos mais extraordinários livros sobre a arte da escrita. Leitura indispensável, a publicação é uma verdadeira bíblia para quem quer ser roteirista, trazendo um visão ampla sobre todos os elementos do roteiro. O autor passa por todos os elementos fundamentais para a construção de uma boa narrativa. Além de detalhar aspectos importantes do texto cinematográfico, o autor dá dicas para a construção de personagens e desenvolvimento de situações dramáticas.

Como escrever séries: roteiro a partir dos maiores sucessos da TV (Sônia Rodrigues)

“As séries são a narrativa do século XXI. Elas são para o nosso século o que o romance foi para o século XIX e o cinema para o século XX. Roteiro de série dramática é o mais difícil de se escrever porque é a escrita que mais depende do domínio técnico.”

Como o próprio título sugere, o livro é um verdadeiro manual prático para aqueles que estão planejando se aventurar na criação de roteiro para séries. Neste livro, a escritora e roteirista Sonia Rodrigues, explora os alicerces do que é um bom roteiro, demonstrando os detalhes de sua construção, ferramentas para entender os elementos estruturais da escrita, além de abordar especificidades do formato. Para isso, a autora usa como exemplo mais de 60 séries de sucesso, como Breaking Bad, Família Soprano, House of Cards.É um livro tanto para profissionais da área de cinema e TV quanto para fãs de séries em geral.

Roteiro de Documentário – Da pré-produção à pós-produção (Sérgio Puccini)

“Tão importante quanto saber como iniciar o filme é saber como terminá-lo,definir em qual momento o filme já passou todo o conteúdo informativo necessário para a compreensão do assunto e da abordagem do diretor, tendo a preocupação de não se tornar um filme arrastado, cansativo, com excesso de informações desnecessárias e redundantes.”

Muita gente acha que documentário não precisa de roteiro. Neste livro Sérgio Puccini mostra que além de importante, muitas vezes a escrita se estende por todo o processo de realização. É uma escrita mais aberta, mas necessária no processo de organização da produção e do discurso, além de determinante na estruturação do início e do fim da obra. O autor passa pelas três etapas de uma produção cinematográfica: pré-produção, filmagem e pós-produção, e ressalta o papel de cada uma na construção do documentário.

Em águas profundas (David Lynch)

“As idéias são como peixes. Se você quer pegar um peixinho, pode ficar em águas rasas. Mas se quiser um peixe grande, terá que entrar em águas profundas.”

Neste livro, escrito em primeira pessoa pelo diretor de obras-primas como Twin Peaks e Veludo Azul, a mensagem é subjetiva, mas certeira: as melhores e mais originais ideias são fruto de muito trabalho, que parte também de uma investigação externa e interna, além de muito estudo. O texto é bastante pessoal e Lynch fala de sua experiência com meditação transcendental e revela  como isso foi determinante em todo seu processo criativo.

Sobre a Escrita (Stephen King)

“Quando você escreve uma história, está contando essa história para você. Quando a reescreve, sua principal tarefa é jogar fora tudo que não for a história.”

Este livro, que também traz um grande panorama da vida de King, é considerado por muitos uma autobiografia do mestre do horror e do suspense, com obras adaptadas para o cinema se que tornaram clássicos do gênero, como Carrie, A Estranha e Iluminado. Além de mergulhar em acontecimentos pessoais, neste livro o autor expõe como funciona seu processo de escrita e dá várias dicas para quem está escrevendo uma história. Exercícios como pensar na narrativa como sendo a reescrita para uma outra pessoa, esperar um tempo antes de reler o que se escreveu, não ter medo de eliminar partes que são suas “queridinhas” mas que deixam o todo mais chato, entre outros pontos, são abordados pelo escritor para que você consiga um bom resultado final.

Receba NossasNovidades