Conforme artigo publicado no site Mestre do Adwords (http://mestredoadwords.com.br/), a Shutterstock, agência de imagens mundialmente reconhecida,  apontou, como resultado de uma pesquisa, que 86% dos usuários do Brasil assistiram a cerca 161 vídeos no início de 2014, ou seja, em média de 11 horas consumidas por pessoa em apenas um mês do ano. Desde então, estes números só cresceram e tendem a aumentar ainda mais.

Já um estudo da ComScore revelou que o Brasil está na 6a posição quando o assunto é a quantidade de vídeos online consumidos em todo o mundo. Ainda segundo o Mestre dos Adwords, o brasileiro assiste em torno de três horas a mais de conteúdos online do que diversos outros países da América Latina.

Atento às transformações do mercado e ao grande crescimento da audiência de vídeos nas mais diversas plataformas, em 2017 a produção de conteúdos para dispositivos móveis também passa a fazer parte do Concurso NETLABTV, com a categoria Social Video. Podem concorrer nesta nova categoria, novas ideias de séries criadas para as redes sociais e exibição em tablets, smartphones e outros dispositivos.

A iniciativa aproxima a criação das novas tecnologias e dos novos hábitos de consumo de entretenimento digital. Criar conteúdos audiovisuais seriados para redes sociais significa pensar o roteiro, a linguagem e os temas para alcançar comunidades específica e com interesses bem definidos.  “O conteúdo já está em todas as plataformas: no cinema, na TV, na internet e pode atualmente ser acessado por computadores, celulares,  tablets, quando e onde as pessoas quiserem. Por isso, entendemos que a introdução da categoria Social Video cumpre um papel no panorama audiovisual brasileiro e permite um diálogo direto com os Millennials”, explica Daniely Gomiero, vice-presidente de Projetos do Instituto NET Claro Embratel.

A diretora executiva do NETLABTV, Minom Pinho, ressalta que no Brasil, o fenômeno do canal Porta dos Fundos e o sucesso dos chamados influenciadores digitais vêm inspirando jovens a criar e compartilhar conteúdos com foco em comunidades específicas. “Isto estabelece novas fronteiras de criação, abre espaço para novas linguagens e formatos e traz novos players ao mercado audiovisual. Qualificar roteiros com este foco e revelar jovens talentos é uma demanda com a qual queremos dialogar, trazendo novas oportunidades de aprendizado e de geração de negócios audiovisuais”, acrescenta ela.

Quais são e sobre o que são os Social Videos?

Quem quer criar conteúdos seriados para as redes sociais deve estar atento para o roteiro de forma a compor uma unidade entre os episódios. Outro ponto importante dos roteiros de Social Video é a agilidade na comunicação com o espectador de forma que a narrativa tenha  uma abordagem adequada para falar com o público que pretende alcançar na internet.

Há pontos cruciais a serem observados, como a importância do storytelling, ou seja, a forma que vai utilizar para contar bem a história, por mais curta que seja a narrativa e/ou por mais despojado que seja o seu conteúdo. Estar atento ao roteiro é imprescindível. Mas, antes de mais nada, é preciso definir que tipo de Social Video pretende-se criar.

O Social Video pode, como observa o artigo do YContent (http://ycontent.com.br/), ter diversos temas. Há o gênero documental, como o projeto Fale com Estranhos (www.falecomestranhos.com.br), que traz entrevistas em vídeo com pessoas nas ruas do Brasil sobre os mais variados temas.

Pode ser um videolog, pode tratar de viagens, gastronomia, life style. Podem ser esquetes de humor e comportamento, podem ser tutoriais, gameplays, e ainda explorar os diversos gêneros ficcionais, mas a comédia é sem dúvida o gênero mais adotado nos canais de Social Video.

Bons exemplos não faltam, como JoutJout, que conquistou mais de um milhão de seguidores em seu videlolog JoutJout Prazer (https://www.youtube.com/user/joutjoutprazer). Outro caso de sucesso é o Vagabrothers, irmãos que viajam o mundo e compartilham suas experiências sem seu canal (http://bit.ly/Vagabrothers), em que também dão dicas de viagens baratas, programações culturais e conversam com moradores das mais diversas cidades nos cinco continentes. Danielli Noce em seu canal (http://bit.ly/danidoce) também conta histórias que unem viagem, gastronomia e receitas das mais variadas sobremesas, área que ela também domina, pois é formada em confeitaria e criadora do site I Could Kill for Dessert (www.ickfd.com.br).

Especificidades do Social Video – Para quem, como funciona o Call to Action!

Definido o tipo de projeto de Social Video a ser criado, é hora de compreender que esta categoria tem suas especificidades. Além do objetivo do vídeo, é preciso estar atento a que tipo de abordagem será usada. O conteúdo pode ser bem humorado, informativo, técnico, mas sem perder de vista o storytelling. Mesmo que o vídeo seja sobre receitas e gastronomia, contar histórias saborosas a respeito do prato, falar de sua origem, comentar se é uma receita de família, por exemplo, faz deste vídeo uma atração divertida e que mantenha o interesse do espectador até o final e o deixe com aquele sentimento de “quero mais”.

Estudar o tema a ser abordado e entender o público alvo também são duas dicas importantes para todo criador de Social Video. Além disso, organizar os assuntos e tópicos a serem tratados é primordial para se realizar o roteiro de um vídeo instigante e conciso.

Usar uma linguagem acessível e em consonância com o público a ser atingido é outro cuidado que todo produtor e/ou roteirista de Social Video deve ter. O tom dos conteúdos criados para plataformas online, sejam eles de ficção, documentais ou de life style, costuma ser espontâneo, leve, descontraído e direto. Quanto mais próxima do espectador a linguagem estiver, maior a chance de comunicação e conexão.

Há diversos outros itens, características e dicas a respeito dos Social Video que serão abordados pelo Blog NETLABTV em futuras publicações. Mas por ora estes são tópicos fundamentais. Por fim, é preciso estar atento à mensagem que se quer passar com o vídeo e com o famoso Call to Action (o CTA). O vídeo terminou? Convoque seu público para assistir ao próximo, para compartilhar, seguir sua página, assinar seu canal, curtir e recomendar aos amigos. O importante é contagiar o espectador e instigar nele o desejo de compartilhar em rede!

Receba NossasNovidades