O uso de aplicativos de celular para a aprendizagem da matemática resultou em uma percepção positiva para os jovens de uma universidade técnica da Malásia. Um estudo de 2018 mediu a opinião de 70 estudantes antes e depois de uma experiência com mobile learning.

Os participantes relataram uma melhor compreensão da matemática ao aprender a matéria por meio do celular, maior engajamento e sentimentos de independência no processo de ensino. Além disso, eles afirmaram que a aprendizagem foi mais divertida e houve uma menor ansiedade relacionada à disciplina.

“Eles mencionaram que, por meio da aprendizagem com celular, o entendimento do conteúdo foi melhorado. Portanto, o pensamento critico foi desenvolvido no processo. Eles ainda concordaram que puderam sentir impactos positivos na sua satisfação com o aprendizado e no seu nível de motivação”, acrescentou a pesquisadora Mislina Atan em seu artigo.

Importância do professor

O papel do professor como mediador também apareceu no relato dos alunos que integraram a experiência. “Em termos de objetivo de aprendizado, eles concordaram que compreenderam melhor os conteúdos abordados por meio da discussão e orientação de um professor que exerce o papel de mediador”, concluiu Atan.
Por fim, os alunos também classificaram como positiva a criação de grupos de discussões com outros estudantes sobre o processo de aprendizagem da matéria.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Geral

Confira os selecionados para a etapa de Desenvolvimento de Projetos da 7ª edição do Campus Mobile

Projetos vão receber monitoria virtual e presencial para desenvolvimento

há 6 horas
Geral

Campus Mobile encerra período de inscrições com recorde de participações

Sétima edição do concurso recebeu 217 projetos de 25 estados

há 1 semana
Diversidade

Estudo recomenda redesenhar aplicativos de relacionamento para combater racismo

“Algoritmos podem induzir à discriminação, intencionalmente ou não”, apontam pesquisadores

há 1 semana
Educação

Universidades da Alemanha se apoiam na inteligência artificial para criar tutores virtuais

Ambientes virtuais de aprendizagem que possuem avatares como tutores já são uma realidade no mundo. Na Universidade de Bielefeld, na Alemanha, um agente pedagógico chamado Max foi desenvolvido para atuar como um guia virtual de museus. Desde 2004, os visitantes do Heinz Nixdorf Museums Forum (HNF) podem conversar com ele sobre as exposições. “O objetivo […]

há 1 semana

Receba NossasNovidades