As inscrições para a sétima edição do Campus Mobile, projeto que incentiva que jovens desenvolvam soluções para a sociedade por meio de aplicativos, foram prorrogadas até 2 de dezembro.

Para este ano, universitários ou recém-formados podem se inscrever, individualmente ou em equipes de até três pessoas, em uma das seguintes categorias:

– Educação: produtos ou serviços que tenham objetivo de resolver problemas relacionados à aprendizagem dentro e/ou fora da escola, ao contexto escolar e/ou ao interesse pelos estudos;

– Diversidade: focada em projetos destinados ao empoderamento, redução de discriminação e/ou promoção dos direitos de mulheres e minorias;

– Smart Cities: soluções que contribuam para a infraestrutura urbana, tornem os grandes centros mais eficientes e melhorem a vida de seus habitantes;

– Smart Farms: iniciativas que tenham o objetivo de melhorar a infraestrutura e a vida dos habitantes em regiões rurais.

O Campus Mobile é uma iniciativa do Instituto NET Claro Embratel, em parceria com a Associação do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC) e apoio do Laboratório de Sistemas Integráveis da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (LSI-USP).

Para inscrever seu projeto, acesse: www.institutonetclaroembratel.org.br/campus-mobile/inscricoes

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Geral

Confira os selecionados para a etapa de Desenvolvimento de Projetos da 7ª edição do Campus Mobile

Projetos vão receber monitoria virtual e presencial para desenvolvimento

há 6 horas
Geral

Campus Mobile encerra período de inscrições com recorde de participações

Sétima edição do concurso recebeu 217 projetos de 25 estados

há 1 semana
Diversidade

Estudo recomenda redesenhar aplicativos de relacionamento para combater racismo

“Algoritmos podem induzir à discriminação, intencionalmente ou não”, apontam pesquisadores

há 1 semana
Educação

Universidades da Alemanha se apoiam na inteligência artificial para criar tutores virtuais

Ambientes virtuais de aprendizagem que possuem avatares como tutores já são uma realidade no mundo. Na Universidade de Bielefeld, na Alemanha, um agente pedagógico chamado Max foi desenvolvido para atuar como um guia virtual de museus. Desde 2004, os visitantes do Heinz Nixdorf Museums Forum (HNF) podem conversar com ele sobre as exposições. “O objetivo […]

há 1 semana

Receba NossasNovidades