Leonardo Valle

Medo, raiva, ansiedade e preocupação com entes queridos são alguns dos sentimentos que podem surgir durante ou pós-quarentena imposta pela pandemia do novo coronavírus (covid-19). Para ajudar a fomentar mais tranquilidade e bem-estar nesse momento de isolamento, a ordem dos Psicólogos de Portugal disponibilizou em seu site dois materiais informativos: o guia “Como lidar com uma situação de isolamento”, para orientar adultos e crianças, e o “Como lidar com uma situação de isolamento se for um cidadão sénior (ou seu familiar)”, para idosos. Ambas as publicações estão em português de Portugal, mas a semelhança entre as línguas facilita a compreensão.

Uma dica importante recomendada pelo manual é evitar a exposição excessiva a reportagens veiculadas na mídia, nas redes sociais e aplicativos de troca de mensagens. “A cobertura mediática pode criar a impressão de que existe um perigo e um risco maior do que aquele que realmente existe”, afirma o documento.

Vale ainda manter contato com amigos e pedir ajuda sempre que for necessário, como medicamentos, compras e produtos de higiene pessoal. Isso melhora a sensação de segurança e conforto.

Para familiares e amigos de pessoas na terceira idade, também é sugerido ligar periodicamente, demonstrar afeto e se tornar acessível via telefone, aplicativos de mensagem e outras tecnologias.

Pessimismo

Já o manual “Desconforto emocional em períodos de isolamento”, da psicóloga Karoline Paiva e do psicanalista Marcos Wagner, traz orientações sobre sentimentos que podem ser comuns durante o período de quarentena, como vitimização, pensamentos negativos e percepção da solidão como abandono.

“Estar isolado não é uma punição e sim uma preservação e contribuição para o bem comum”, reforça o material. “Lembre-se: você tem condições de se fazer presente ainda que fisicamente longe ou apartado de seu grupo social”, aconselha.

Os profissionais também trazem recomendações de atitudes que devem ser evitadas nesse período transitório, como isolamento, não ter uma agenda de atividades, ócio, entre outras.

Atualizada em 19/03/20, às 15h11

Veja mais:
Seja no campo pessoal ou profissional, pedir ajuda traz benefícios
“Afetividade impacta sociedade quando exercida nas pequenas interações cotidianas”, diz pesquisadora

Crédito da imagem: guia “Como lidar com uma situação de isolamento se for um cidadão sénior (ou seu familiar)”

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Notícias

Site reúne materiais de enfrentamento ao coronavírus nas comunidades brasileiras

Dicionário das Favelas compila relatos de moradores, artigos e iniciativas de apoio a grupos vulneráveis

há 3 dias
Notícias

Unicef ensina a proteger e entreter crianças durante quarentena contra coronavírus

Documentos reúnem dicas para evitar ansiedade por meio de conversa e brincadeiras em casa

há 1 semana
Notícias

Plataforma conecta quem necessita de apoio e voluntários, durante quarentena do coronavírus

“Vizinho do Bem” permite ajudar pessoas do grupo de risco com necessidades simples, como compras

há 1 semana
Notícias

Mulheres podem ser mais afetadas por crise econômica e violência doméstica em pandemia do Coronavírus, alerta ONU

Entidade recomenda inclusão de medidas de igualdade de gênero na resposta ao surto

há 1 semana

Receba NossasNovidades