Leonardo Valle

Calcular qual será a reação da cobertura vegetal da floresta amazônica com a mudança do clima ajuda a estimar o impacto do aquecimento global no Brasil. Um estudo que realizou simulações usando 14 modelos computacionais de vegetação concluiu que, dentre os diversos fatores que podem influenciar na questão, destaca-se a escassez do elemento fósforo na floresta. Sua falta impediria as árvores de reagir ao aumento de gás carbônico atmosférico associado às mudanças climáticas.

O artigo Amazon forest response to CO2 fertilization dependent on plant phosphorus acquisition (tradução livre: Resposta da floresta amazônica à fertilização com CO2 depende da aquisição de fósforo pela planta) foi publicado na revista Nature Geoscience e é assinado por um grupo de pesquisadores liderado pelo ecólogo David Lapola, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Segundo os autores, uma possibilidade é que a floresta, submetida a estresse hídrico, poderá encolher, cedendo espaço para uma vegetação típica do cerrado – processo conhecido como “savanização”.

Outra possibilidade é que as plantas podem ser capazes de superar as dificuldades impostas pela mudança climática, baseada em experimentos realizados em florestas temperadas chamado Free-Air Carbon Dioxide Enrichment (Face). A maior concentração de gás carbônico (CO2) no ar – uma das causas do aquecimento global – poderia ajudá-las a crescer sem gastar muita energia.

Para saber se essa premissa é válida também para florestas tropicais, um consórcio internacional liderado pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) planejou um experimento similar a ser realizado ao norte de Manaus.

Interpretações

No experimento de Lapola, os pesquisadores do projeto simularam, em computador, a dinâmica do fluxo de carbono, fósforo e nitrogênio sobre as árvores. Após o aumento de CO2 proporcionar um efeito positivo para as plantas, o nitrogênio escasso no solo se tornou limitante, e o carbono, abundante. A dinâmica foi influenciada pela falta de fósforo.

Dos 14 modelos matemáticos usados pelos cientistas, três consideravam apenas o ciclo de carbono e cinco também levavam em conta o nitrogênio. Outros seis incluíam o fósforo. Quando comparados uns com os outros, os resultados indicaram que a escassez de fósforo dos solos amazônicos comprometeria em cerca de 50% a capacidade das árvores de absorverem o carbono extra que estará no ar.

Com Agência Fapesp

Veja mais:
Legado de Chico Mendes, reservas extrativistas ajudaram a frear desmatamento da Amazônia
Desmatamento zero e rotação do gado ajudam pecuária a reduzir impactos ambientais
Impactos das mudanças climáticas na vida de brasileiros é tema de documentário online
Continuidade do desmatamento pode causar colapso da floresta amazônica, avalia pesquisador

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Notícias

Impactos das mudanças climáticas na vida de brasileiros é tema de documentário online

“O Amanhã é Hoje” relata história de vítimas de secas, incêndios florestais, chuvas e desabamentos

há 1 ano
Notícias

Oxigênio nos oceanos está diminuindo por conta do aquecimento global, aponta relatório

Emissão de gás carbônico e contaminação dos mares por agrotóxicos estão entre causas

há 3 dias
Notícias

Mudança na demarcação de terras prejudicará indígenas e quilombolas, para entidades do setor

“Se populações não forem protegidas pelo Estado, haverá abusos”, alerta pesquisadora

há 10 meses
Notícias

Relatório da ONU apresenta benefícios em limitar aquecimento global a 1,5°C

Segundo painel, limite reduziria impactos nos ecossistemas e saúde humana em comparação com 2°C

há 1 ano

Receba NossasNovidades