Leonardo Valle

Ivan Ciro Palomino é um artista visual peruano que usa ilustrações para provocar reflexões sobre questões sociais, ambientais e de cidadania. Sua exposição, “Consciência”, discute, por meio de 21 obras, temas como igualdade de gênero, consequências da guerra, refugiados, preservação da natureza, falta de água, entre outros.

“A imagem é essencial para entender, refletir e abordar temas importantes. Cada trabalho pode transmitir emoções sem a necessidade de adicionar um texto para uma maior compreensão”, explica.

Seu trabalho é reconhecido em várias partes do mundo. Em 2016, ele foi premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) no concurso “Um cartaz para a paz”. Em 2017, ganhou em duas categorias na premiação “17 objetivos para transformar nosso mundo”, da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). “A arte focada de maneira criativa nos permite ver o problema e nos questionar sobre como resolvê-los, como encontrar soluções diversificadas”, acrescenta.

Confira uma entrevista exclusiva com o artista:

O que une as obras selecionadas para a exposição “Consciência”?

Ivan Ciro Palomino: “Consciência” é uma mostra que está unida por um fio condutor, baseada nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). As obras focam temas como pobreza, proteção do planeta, igualdade de gênero, entre outros. Antes de 2016, eu produzi ilustrações focadas nas mudanças climáticas. Depois de ganhar o prêmio mundial da ONU, os temas foram se expandindo, em especial em relação à guerra e suas consequências. A sede da entidade, então, me abriu as portas para a primeira mostra.

Qual a importância dessas obras para discutir temas sociais e ambientais?

Palomino: Elas podem facilmente chegar às pessoas, possibilitando a transmissão de mensagens de uma maneira muito simples e eficaz por meio da comunicação visual. A imagem é essencial para entender, refletir e abordar questões sociais e ambientais. Cada trabalho pode transmitir emoções sem a necessidade de adicionar um texto para uma maior compreensão. A ilustração é uma mensagem universal e que busca reflexão. Sou artista e minhas ilustrações podem, de alguma forma, ajudar a aumentar a conscientização.

Quais os benefícios da arte visual para conscientizar sobre essas questões?

Palomino: As artes visuais são um forte catalisador de emoções, expressando sentimentos e possibilitando pensar melhor sobre os dilemas que a vida cotidiana nos coloca. A arte focada de maneira criativa nos permite ver o problema e nos questionar sobre como resolvê-lo, como encontrar soluções diversificadas. Hoje, esse universo do pôster, como parte da arte visual, permite que muitos artistas participem com questões sociais em eventos internacionais. Existem obras tão poderosas que as levo na minha mente, reflito e me pergunto: “de que maneira ou como posso ajudar?”.

Qual o motivo do nome da exposição ser “Consciência”?

Palomino: Consciência, é uma palavra muito poderosa, 10 letras que podem dizer muitas coisas de uma só vez: reflexão, interioridade, honestidade, significado e alma. Permite-me encontrar uma conexão entre a pessoa e as consequências de suas ações por meio da ilustração.

Ivan Ciro Palomino com o então secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, em 2016 (crédito: divulgação)

 

Em tempos de redes sociais, há maior possibilidades de alcance para as artes visuais que buscam conscientizar?

Palomino: Hoje, as redes sociais possibilitam infinitas possibilidades para alcançar mais pessoas e em todos os cantos do planeta. Há 25 anos, isso era impossível. Um exemplo claro foi em 2016, quando usei a internet e comecei a procurar um concurso de ilustração, e eu encontrei o “Um cartaz para a paz”. Enviei meu trabalho por e-mail e tive a sorte de vencer. Após a cerimônia, soube que mais de 3.000 pôsteres de 125 países participaram. E aí percebemos o nível de alcance das redes de comunicação, permitindo transmitir mensagens e buscar a conscientização. 

Com qual mensagem você gostaria que o público saísse da exposição?

Palomino: Primeiro, ao entrar na sala, você se conectará rapidamente com cada ilustração, pois elas são muito simples e com mensagens fáceis de reconhecer. Isso o levará a um mundo de reflexão. Em segundo lugar, algumas obras são irônicas e podem ser divertidas, mas sem sair do contexto da reflexão.  Por fim, cada elemento que uso é da vida cotidiana. Quero deixar uma mensagem na qual cada um de nós pode contribuir (no mundo). Às vezes acreditamos que um problema global deve ser resolvido pelas nações, mas cada cidadão faz parte de uma nação. É por isso que uma pessoa pode fazer a diferença: um artista, um professor, um mecânico, um motorista, todos podem apoiar a conscientização.

Veja mais:
Fernando Meirelles respira novos ares ao dedicar-se às causas ecológicas

Crédito da imagem: reprodução da obra “Oculto”, de Ivan Ciro Palomino

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Notícias

Manual apresenta passos e ferramentas para jovens que querem promover mudanças sociais

Publicação indica passos e caminhos para criar, planejar e colocar em prática projetos

há 2 meses
Notícias

Aplicativo ajuda a identificar árvores por meio de contos literários

Cantores brasileiros narram histórias sobre espécies nativas da Mata Atlântica

há 1 dia
Notícias

Garimpos ilegais em terras indígenas deixam rastro de contaminação por mercúrio e malária

Nova “corrida pelo ouro” e falta de fiscalização estimulam invasões de terras demarcadas na Amazônia

há 3 meses
Notícias

Animação premiada pela ONU conscientiza adultos e crianças sobre desperdício de água

“Aquametragem” aborda Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6, sobre acesso universal desse recurso até 2030

há 4 meses

Receba NossasNovidades