Leonardo Valle

Segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em agosto de 2018 aproximadamente 30,8 mil venezuelanos viviam no Brasil. Destes, cerca de 10 mil haviam migrado em um período de seis meses. Para entender e desmistificar o fenômeno migratório do país, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) publicou a coletânea Migrações Venezuelanas.

Disponível online, a obra foi desenvolvida por pesquisadores do Núcleo de Estudos de População Elza Berquó, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e reúne 55 textos sobre os mais recentes deslocamentos de venezuelanos com destino ao Brasil e outros países da América Latina. Ao todo, 92 especialistas e instituições contribuíram com a publicação.

Os artigos publicados lembram que migrantes contribuem para a prosperidade econômica dos países de acolhimento. Além disso, o fluxo de capital financeiro, tecnológico, social e humano que é enviado de volta para os países de origem ajuda a reduzir a pobreza e estimular o crescimento.

Veja mais:
“Nunca pensei que seria uma refugiada. Aconteceu”
Quatro em cada cinco refugiados permanecem em países próximos aos seus locais de origem
Publicação trata sobre refugiados perseguidos por orientação sexual
Cartilha orienta imigrantes e refugiados que vivem no Brasil

Crédito da imagem: reprodução coletânea Migrações Venezuelanas

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Notícias

Cartilha orienta imigrantes e refugiados que vivem no Brasil

Documento da Defensoria do Rio de Janeiro explica direitos básicos e legislação referente ao tema

há 5 meses
Notícias

Livro online gratuito apresenta entrevistas com indígenas da região de RO

Ebook pretende valorizar cultura das etnias macuxi, taurepang e wapixana

há 4 dias
Notícias

Dossiê explica importância das unidades de conservação para preservação da Amazônia

Documento interativo reúne fotografias, mapas, tabelas e infográficos

há 5 dias
Notícias

Compartilhar imagens de violência na internet pode ser positivo?

Psicólogo e advogada analisam as consequências da divulgação desses conteúdos para vítimas e usuários

há 6 dias

Receba NossasNovidades