Leonardo Valle

Se no passado as notícias falsas se espalhavam pela internet por meio de e-mails, hoje, o uso de redes sociais e aplicativos de mensagens fazem com que os boatos sejam compartilhados de forma massificada e alcancem um número maior de usuários. Por esse motivo, o Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil (CERT.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) disponibilizou online um fascículo dedicado ao tema.

A publicação é gratuita e tem como objetivo atualizar informações publicadas, anteriormente, na Cartilha de Segurança para Internet da instituição. “A expansão do acesso à internet, naturalmente, gerou um maior alcance de boatos. A partir disso, notamos a necessidade de detalhar os problemas causados pelo compartilhamento de mensagens falsas, como identificá-las e combatê-las”, assinala a gerente do CERT.br, Cristine Hoepers.

No início, os boatos eram conhecidos como hoaxes. Há também os boatos popularmente conhecidos como “corrente”, e agora, as fake news, termo geralmente associado a notícias que tentam se passar por reportagens jornalísticas verdadeiras e que possuem conteúdo falso, impreciso ou distorcido. Além disso, a publicação alerta para as consequências legais de repassar um conteúdo falso.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Notícias

Com vetos do governo, lei de proteção de dados pessoais deve ser de difícil cumprimento

Governo impediu a criação de agência que fiscalizaria irregularidades e centralizaria diretrizes

há 2 dias
Notícias

Greenpeace questiona dados do governo sobre cumprimento de meta de clima para 2020

Segundo a entidade, federação não utiliza dados transparentes para calcular emissão de gás carbônico

há 2 dias
Notícias

Aquecimento global poderá extinguir até 10% dos anfíbios da Mata Atlântica, segundo estudo

Pesquisa analisou presença desses animais no meio ambiente e a relação com as mudanças climáticas

há 3 dias
Notícias

Cartilha da SBPC discute políticas públicas que devem pautar debate nas eleições

Publicação aborda temas como ciência e tecnologia, educação, comunicação, direitos humanos e saúde pública

há 3 dias

Receba NossasNovidades