Contação de histórias, leituras em voz alta e rodas de conversa são algumas das atividades nas quais crianças e adolescentes podem exercitar a produção do texto oral. Nesses espaços, eles são estimulados a criar ou recriar histórias ouvidas e vividas.

Além disso, a expressão oral também pode ser um elemento facilitador da escrita, já que convida os alunos a organizarem e exporem suas ideias, a defenderem diferentes pontos de vista e a desenvolverem a argumentação. Assim, parte-se do texto falado para alcançar o texto escrito.

A seguir, confira oito indicações de livros que discutem o uso da oralidade em sala de aula e propõe boas práticas para exercitá-la com os alunos da educação básica.

 

Capa do livro "Oralidade na educação básica. O que saber, como ensinar" com o nome escrito e a imagem de um megafone

Oralidade na educação básica. O que saber, como ensinar

Robson Santos de Carvalho e Celso Ferrarezi Junior, Editora Parábola, 2018
Com foco na escuta e na fala, os autores propõem formas de desenvolver competências comunicativas na educação básica brasileira. São sugeridas atividades práticas, progressivas e planejadas de forma sistemática, tanto para crianças quanto para adolescentes.

 

Capa do livro "Ensino de língua portuguesa: Oralidade, escrita e leitura" com o nome escrito em um fundo amarelado

Ensino de língua portuguesa: Oralidade, escrita e leitura

Vanda Maria Elias (org.), Editora Contexto, 2011
Para contribuir com o trabalho dos docentes na sala de aula, pesquisadores brasileiros correlacionam as teorias do texto e as do ensino. O livro é dividido em três partes: a primeira aborda formas de trabalhar a oralidade em sala de aula, em atividades como quadrinhos e poesia. A segunda apresenta a escrita e sua construção na interação entre escritor e leitor, passando de redações escolares à linguagem escrita na internet. A leitura é o foco da última parte, como uma atividade complexa de construção de sentido.

 

Capa do livro "O espaço da oralidade na sala de aula"

O espaço da oralidade na sala de aula

Jania M. Ramos, Martins Fontes, 2002
A obra apresenta sugestões de atividades didáticas que ajudem a aprimorar a produção textual. Os procedimentos partem do texto falado para alcançar a produção do texto escrito. Indicado para professores do ensino fundamental e médio.

 

Capa do livro "Oralidade e escrita sob a perspectiva do letramento"

Oralidade e escrita sob a perspectiva do letramento

José Mario Botelho, Paco Editorial, 2012
O livro se dedica a descrever a influência da oralidade sobre a escrita e vice-versa, apresentando semelhanças e diferenças entre elas. Os capítulos abordam princípios teóricos, influências mútuas, a natureza de ambas linguagens, suas particularidades, metodologias de investigação e de análise de dados. 

 

Capa do livro "Práticas de oralidade na sala de aula"

Práticas de oralidade na sala de aula

Cleo Busato, Cortez Editora, 2010
A narração oral de histórias é importante para o processo de alfabetização e ocupa um espaço privilegiado na formação do ser humano. Os anos iniciais do ensino fundamental são dirigidos ao letramento e à alfabetização, motivo pelo qual o desenvolvimento da linguagem oral deve ser ressaltado na aprendizagem. Assim, são recomendados a construção de espaços na escola para a contação de histórias, leituras em voz alta e rodas de conversa, nos quais a criança exercita a criação do texto oral, ao criar e recriar histórias ouvidas e vividas.

 

Capa do livro "Oralidade e alfabetização - uma nova abordagem da alfabetização e do letramento"

Oralidade e alfabetização – uma nova abordagem da alfabetização e do letramento

Claudemir Belintane, Cortez Editora, 2017
O autor critica os gêneros discursivos do cotidiano (como receitas, bulas, logomarcas, bilhetes etc.) e enfatiza a força da função poética das narrativas. Além disso, propõe-se a responder perguntas como: Qual o potencial da cultura oral na alfabetização? Há espaços para uma metodologia de alfabetização e de ensino da escrita que enfrente as dificuldades de aprendizagem e a heterogeneidade das turmas? Que condições essa metodologia exigiria do sistema escolar, da escola e do grupo de professores?

 

Capa do livro "Oralidade e escrita sob a perspectiva do letramento"

Oralidade e escrita: Perspectivas para o ensino de língua materna

Leonor Lopes Favero e Maria Lucia Andrade, 2009, Cortez Editora
O livro apresenta as principais questões da oralidade e da escrita e discute a sua aplicabilidade em sala de aula. A obra é indicada a todos os professores que se interessam pelo campo da linguagem verbal, em especial para graduandos em letras, comunicações e áreas afins. Além disso, destaca o papel protagonista do educando, fazendo dele um participante da atividade educacional.

 

Capa do livro "A oralidade na escola - A investigação do trabalho docente como foco de reflexão"

A oralidade na escola – A investigação do trabalho docente como foco de reflexão

Telma Ferraz  Leal e Siane Gois, Autêntica Editora, 2012
A importância da oralidade nas salas de aula da educação básica, as indicações para sua abordagem nas aulas de língua portuguesa e as melhores estratégias didático-pedagógicas para a modalidade são alguns dos conteúdos presentes na obra, que foi escrita a partir de experiências com formação docente pelos autores.

Veja mais:
Júri popular em sala de aula é reforço para redação do Enem
7 links sobre o uso da contação de histórias em sala de aula

Crédito da imagem: Wavebreakmedia – iStock

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Notícias

7 livros para o professor se aprofundar em educação ambiental

Obras trazem abordagens, práticas, metodologias e relação com outros campos do saber

há 6 meses
Notícias

6 livros para compreender a educação integral

Prática visa desenvolver o aluno em todas as suas dimensões e construir processos mais democráticos na escola

há 1 ano
Notícias

6 livros sobre aprendizagem colaborativa

Obras abordam desde o uso de tecnologias aos trabalhos em grupos realizados em aula

há 1 ano
Notícias

Maioria dos estados estrutura currículos de inglês com foco apenas em gramática

Levantamento apontou que somente 9 dos 21 entes federativos incentivam uso do idioma na comunicação

há 4 dias

Receba NossasNovidades