O Museu da Imigração possui mais de 10 mil publicações, 250 mil imagens, além de entrevistas e objetos históricos. Para facilitar a pesquisa em seu acervo virtual, a instituição lançou um e-book com informações sobre o processo de busca.

A publicação detalha os períodos relacionados a processos migratórios e dá dicas sobre como buscar nomes, sobrenomes e o destino de famílias após o desembarque em portos do país.

“Apesar de os documentos estarem catalogados e digitalizados, apenas uma metodologia adequada de pesquisa produz resultados satisfatórios. O e-book apresenta os principais pontos dessa metodologia e ressalta a importância de se obter um conhecimento histórico básico acerca das migrações para o Brasil”, explica o coordenador do livro digital, Henrique Trindade.

“As pessoas aprendem quem era o imigrante registrado, com o nome completo, apontamentos sobre grafias, preenchimento correto dos campos de pesquisa, o significado dos itens indicados no registro de matrícula da hospedaria de imigrantes, entre outros”, descreve.

A instituição estima que 80% de seu acervo faça referência a imigrantes italianos, mas também há informações de outras nacionalidades – incluindo a história de um austríaco que sobreviveu ao naufrágio do Titanic e chegou ao Brasil em 1924. Ainda segundo Trindade, o e-book auxilia a esclarecer alguns mitos relacionados à imigração.

“Por exemplo, muita gente acha que os principais fluxos migratórios para o Brasil ocorrem durante as duas grandes guerras mundiais do século XX. Tal informação não procede”, complementa.

Para professores e alunos, a publicação pode ajudar em atividades voltadas a conhecer histórias de familiares. “Além disso, muitos pesquisadores acadêmicos utilizam os documentos presentes no acervo digital para elaborarem artigos, dissertações de mestrado e teses de doutorado”, ressalta.

Veja mais:
Livros de Zélia Gattai ajudam a entender imigração italiana e Estado Novo
Como os objetos podem ensinar sobre contextos históricos?
Cartilha traz dicas de como alinhar visitas a museus ao conteúdo curricular
Consolidação do hábito de frequentar museus também passa pela escola

Crédito da imagem: acervo digital Museu da Imigração

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Notícias

7 sites de pesquisa acadêmica para apresentar aos alunos

Plataformas ajudam estudantes a utilizarem a web para a construção do conhecimento científico

há 4 meses
Notícias

Para brasileiro, qualidade do professor é principal fator na escolha da escola

Pesquisa realizada em 29 países mostra percepção de famílias sobre educação

há 1 ano
Notícias

Brasil é o país que mais disponibiliza conteúdo científico aberto

Para especialista, acesso livre às pesquisas impacta positivamente na educação básica

há 1 ano
Notícias

Respeito à diversidade é consenso entre defensores e opositores da Base Nacional Curricular

“Debate está na contramão do conservadorismo”, diz o coordenador da pesquisa, Antônio Batista

há 4 anos

Receba NossasNovidades