Em maio deste ano, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação incluiu, entre os compromissos das escolas, o combate a toda forma de violência – o que inclui o bullying – e a promoção da cultura da paz. No estado do Paraná, 117 escolas municipais, estaduais e particulares participantes do projeto “Aprendendo a Conviver”, do setor de educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR), contam com uma nova ferramenta que poderá auxiliar no cumprimento dessa meta. Trata-se de um relatório sobre a percepção de seus alunos sobre bullying e segurança escolar.

No total, segundo informações da Superintendência de Comunicação da UFPR, foram aplicados questionários junto a 22.385 estudantes de escolas de Curitiba, Colombo, Pinhais, Piraquara e São José dos Pinhais. No que diz respeito ao bullying, 22,4% dos estudantes informaram já ter utilizado a internet para espalhar fofocas ou mentiras, e 26,5% disseram já terem sido alvo de colegas que falaram coisas sobre eles para fazer outros rirem. Além disso, 23,6% informaram que já foram xingados na escola. Quando indagados se já foram agredidos ou chutados no ambiente escolar, 12,5% declararam que sim, e 9,8% revelaram terem sido ameaçados de agressão.

O apoio recebido na escola diante dessas situações de violência também foi abordado nos questionários aplicados. A grande maioria – 73,4% dos alunos – afirmou que os professores tentam parar o bullying; 30,4% disseram que os próprios estudantes tentam parar o bullying; e 56,3% afirmam que podem contar com o apoio de alguém na escola caso sofram bullying.

No que se refere à percepção de segurança, o levantamento aponta que 79,7% deles percebem a sala de aula como o local onde mais se sentem seguros, seguida pelo refeitório, apontado por 70% dos alunos, corredores (67%), comunidade e vizinhança (61,1%), espaço do recreio (56,2%), banheiro da escola (53,4%) e o caminho de ida e volta para a escola (41,6%).

O relatório completo sobre o levantamento será apresentado no dia 11 de agosto, durante o Encontro Conviver, que reunirá as escolas participantes para apresentar os planos de ação elaborados a partir dos dados.

Saiba mais:
Diálogos Gigantes: bullying e formas de combatê-lo são discutidos em transmissão ao vivo
Lidar com aluno que pratica o bullying exige mais do que uma única intervenção

Crédito da imagem: Lin Shao-hua – iStock

 

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Notícias

Guia da Unesco apresenta formas de trabalhar tolerância e respeito na escola

Publicação “Ensinar Respeito por Todos” sugere atividades e traz diretrizes para professores e diretores

há 5 meses
Notícias

Violência infantil: biblioteca digital tem materiais gratuitos para enfrentamento

Iniciativa da Unicef auxilia a entender o tema e na estruturação de políticas públicas

há 2 anos
Notícias

Educação em direitos humanos combate desrespeito e violência nas escolas

Projeto “Respeitar é Preciso!” oferece formação para professores da rede municipal de São Paulo

há 3 anos
Notícias

Educação em direitos humanos combate desrespeito e violência nas escolas

Projeto “Respeitar é Preciso!” oferece formação para professores da rede municipal de São Paulo

há 3 anos

Receba NossasNovidades