“As peças clássicas gregas continuam sendo encenadas
e com muito proveito e significado, exatamente porque
elas não são datadas. A notícia de jornal de hoje estará
desatualizada amanhã. Uma crônica sobre um
acontecimento terá perdido sentido semana que vem.” 
(Leandro Karnal)
                                                                                                                                                                                                        
O professor Leandro Karnal: Shakespeare tem força para
tocar nos sentimentos universais (Crédito: divulgação)
 
Ao relembrar os 400 anos da morte do poeta e dramaturgo William Shakespeare, o NET Educação entrevistou o professor e historiador Leandro Karnal, que explica porque uma obra escrita há séculos continua tão atual. Para ele, os clássicos, como o teatro grego e as peças de Shakespeare, atravessam todas as épocas provocando inspirações, pois têm a força para tocar nos sentimentos universais.

No áudio, ele destaca a fala reflexiva de Hamlet. O personagem tem longos monólogos e muitos versos que antecedem as suas ações. Karnal o considera um “anti-facebook”, já que busca a essência e a honestidade de seus atos, o que é muito diferente da rede social em que se busca curtidas “para a vida que não se tem” – relacionando o Facebook a uma construção de aparências.

O historiador chama a atenção para a importância de trazer os clássicos para a sala de aula e para o papel do professor como mediador dessas leituras. Elas não são fáceis como os best sellers, mas são leituras desafiadoras que provocam a reflexão e nos tornam pessoas melhores. Karnal teve contato com a obra de William Shakespeare, ainda no ensino médio, por recomendação de um professor de história, e voltou a ela várias vezes: “há seis anos morreu meu pai e eu vivi a experiência de ser um órfão, exatamente como Hamlet, e finalmente a peça adquiriu um sentido totalmente novo, porque agora eu estava numa situação similar da dor de perder a identidade paterna”.

Também, Karnal considera o domínio dos clássicos como Macbeth, Rei Lear ou Ricardo III fundamentais à formação dos professores, já que permitem a reflexão e a ampliação de sua visão de mundo. E a partir disso será possível abordá-las com os alunos de hoje, que vivem imersos num cotidiano de muita informação e pouca reflexão. “Saber dosar literatura e conhecimento para os alunos é essencial”, completa ele.

 

Capa de uma das inúmeras edições de
Hamlet (Crédito: reprodução)

LINKS:
– Assista a uma palestra completa de Leandro Karnal sobre Hamlet
– A versão da obra, em domínio público, pode ser acessada aqui 

 

Créditos: as músicas utilizadas no áudio, por ordem de entrada, são “Fala” (João Ricardo / Luli), com Secos e Molhados, “Mente”, com Zabomba e Ney Matogrosso, e “Livros” (Caetano Veloso). 

 

 

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Podcasts

Em 1935, livro de Erico Verissimo inovou ao abordar questões de gênero e minorias

Integrante da lista do vestibular da Unicamp, “Caminhos Cruzados” retrata cenário histórico e social brasileiro
há 7 dias
Podcasts

Ensino sobre cultura indígena avançou, mas ainda carece de melhorias

Para pesquisadoras, investimento em formação de professores pode combater estereótipo e falta de conhecimento
há 4 semanas
Podcasts

Livro “Quarto de despejo” é objeto de estudos no Brasil e no exterior

Autora Carolina Maria de Jesus é considerada uma das mais importantes escritoras do Brasil
há 1 mês
Podcasts

Saiba como escolher jogos para o ensino de ciências

Pesquisa aponta contradições entre o que é oferecido pelos games educativos e expectativas dos alunos
há 1 mês

Receba NossasNovidades