Rhaian de Souza é professor de Geografia de cursinhos populares há mais de dez anos. Morador da cidade de Piracicaba (SP), ele se ressentia pelas aulas presenciais não conseguirem atingir tantos alunos quanto gostaria. Foi quando decidiu criar o canal de YouTube Norte Geográfico, disponível dentro do EducaTube.

“O objetivo do canal é oportunizar o acesso à educação de qualidade para quem não tem condições de pagar um cursinho. Além disso, muitas das vezes, alguns alunos não têm tempo ou recursos para frequentar uma turma regular. Dessa maneira, podem usufruir das aulas gratuitamente e no momento em que quiserem”, justifica. “Uma turma presencial reúne 100 estudantes. Com o canal, não há limite ou fronteiras. Consigo atingir alunos em todo o país e até mesmo do exterior”, comemora.

Nos vídeos publicados, Souza alia conteúdos do currículo nacional a temas relevantes do cotidiano dos jovens. “O grande benefício é fazer com que a educação retome ao seu verdadeiro propósito, que é fazer sentido para o dia a dia do aluno. É fundamental que o estudante veja um propósito, que entenda o porquê está estudando determinado tema. A escola existe para que as pessoas entendam o contexto social em que vivem”, defende.

“Com o canal, não há limites para atingir estudantes”, diz professor Rhaian de Souza


Geografia em filmes

Outro diferencial do canal Norte Geográfico é analisar o conteúdo de filmes populares utilizando conceitos da geografia. Nos vídeos, é possível conferir reflexões sobre longas-metragens, como “Moonlight: sob a luz do luar”, “Estrelas além do tempo” e “Um limite entre nós”.

“O grande propósito da geografia é entender a ação do homem frente ao meio. Dessa maneira, conseguimos uma ampla análise crítica do conteúdo dos filmes, principalmente, social”, explica.

“Nos últimos anos, tivemos filmes que são verdadeiras obras de arte com fortes críticas sociais. Muitas das vezes, o aluno vê uma dessas críticas e, por desconhecer o contexto, aquilo passa batido, como se fosse só mais uma parte do enredo. É importante mostrar que no filme ‘Estrelas além do tempo’, por exemplo, o caso de segregação racial é real e traz reflexos sociais até hoje”, decreta.

Para o educador, o canal – que já atingiu meio milhão de visualizações – pode ser benéfico para estudantes e professores da rede pública. “Tanto por poderem oferecer aos alunos as aulas como reforço extra-classe, como possibilidade de usar as aulas dentro da própria sala, para uma discussão, ou mesmo para uma dica pedagógica”, afirma.

Saiba mais:
Professor de geografia usa o entorno da escola para criar mapas colaborativos
Projeto de geografia trata de gênero e sexualidade no espaço escolar
Alunos usam redes sociais para criarem livro didático de geografia

 

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Como avaliar os alunos na disciplina de educação física?

Professores dão 6 dicas para diversificar a análise além da memorização e classificação na disciplina

Realidade no campo, classes multisseriadas apresentam potencial pedagógico

Formato pode incluir aprendizagem por projetos e currículo alinhado a saberes da comunidade

Júri popular em sala de aula é reforço para redação do Enem

Dinâmica ajuda alunos a refletirem sobre temas da atualidade e a desenvolverem habilidades de argumentação

Receba NossasNovidades