O professor como foco é a chave para melhoria da educação dos países, aponta o 11º relatório Educação Para Todos, lançado pela Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (Unesco), nesta quarta-feira (29/1), no Brasil e na Etiópia. “Precisamos treinar os professores fazendo com que eles enxerguem todas as necessidades das crianças, depois preparar governança e gestão, garantindo apoio a eles”, lembra a coordenadora de Educação da instituição, Rebeca Otero (veja visão geral do relatório 2013-2014, em português).

Leia também:
 
O documento da Unesco mostra que, para alcançar um ensino de qualidade, os governos devem agir em quatro principais frentes: atrair os melhores candidatos às vagas de ensino; proporcionar a formação necessária; alocá-los em áreas dentro do país onde a educação é mais problemática; e ofertar incentivos e condições que valorizem o professor – como salário e plano de carreira. “Não existe educação sem professor. A tecnologia é muito necessária no mundo de hoje, mas não substitui. Precisa do professor com segurança, qualidade e tempo para estudar”, acredita Rebeca.
 
Recrutamento, treinamento, alocação e retenção dos professores são as quatro
frentes de atuação recomendadas pela Unesco (Crédito: Unesco)
 
Brasil
Rebeca acredita que o piso nacional dos professores é um avanço bastante considerável no país. No entanto, no quesito valorização, o Brasil ainda deixa a desejar. “O nó crítico está nos professores. São décadas deixando ele de lado. O Brasil tinha um sistema educacional até bom, mas quando abre para a universalização, tinha que trazer mais professores e não deu conta. Agora, temos que redobrar o esforço para valorizar o professor.”
 
Veja a análise da coordenadora de Educação da Unesco Brasil sobre pontos críticos no país:
 
Faltas
Precisamos reduzir o absenteísmo do professor. Ele falta muito e isso é sinal de baixa satisfação com o trabalho. Ele não vai ficar cansado, doente e faltar se estiver bem com sua profissão e responsabilidades.
 
Currículo
Está faltando um currículo inovador e outros ferramentais para o professor trabalhar. Hoje, temos um sistema avaliativo, mas ele vai receber feedback do Ideb, por exemplo, apenas anos depois e já não consegue mais recuperar aquele aluno. Precisa de algo mais rápido que consiga responder logo.
 
Formação
Há vários professores sem formação para determinadas disciplinas, o que reduz a qualidade em vários aspectos. Óbvio que não acertaremos isso no curto prazo, mas deve ser um esforço coletivo de municípios, estados, governo federal, iniciativa privada e do exterior.
 

 

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Professor de educação física inova ao combinar esporte e cinema no Rio Grande do Norte

Filmes são utilizados para discutir questões de gênero, ética e racismo nas escolas

Sambas-enredo podem ser ferramentas para ensinar história e literatura em sala de aula

No Pará, professor analisa contribuições da cultura afro-indígena a partir de obras carnavalescas

Mostra de robótica na escola ajuda a fixar aprendizagem

“Ao explicar sobre robôs criados, aluno aprende”, diz professor da UFSJ na Campus Party 2018

Receba NossasNovidades