A internet pode ser uma ferramenta útil na hora de saber mais sobre os candidatos a uma eleição. Sites como o do Projeto Truco! e o do Projeto Brasil pretendem contribuir com informações para que a população tenha mais elementos na hora de decidir sobre o voto. Nas eleições 2014 no Brasil, os eleitores deverão escolher seus representantes para presidência, governo do estado, senado, deputados federal e estadual.

O início do programa do horário eleitoral gratuito marca efetivamente a entrada do assunto eleições no dia a dia da população. Com o objetivo de checar o que é dito na campanha presidencial veiculada na TV e contextualizar dados, a Agência Pública de Jornalismo criou o Projeto Truco!. Assim como no jogo de cartas, elas são utilizadas, mas para pontuar a averiguação da informação feita pela equipe do projeto. O “Zap!”, por exemplo, serve para quando os dados são corretos e relevantes. Além disso, ao “pedir truco” desafia-se o adversário a mostrar suas cartas — no caso, é feito um contato com o candidato para que ele explique sobre um assunto questionável ou que restou dúvidas.
 
 
Projeto Truco! traz cartas para checar o que é dito no horário eleitoral na TV (Crédito: reprodução)
 
 
“O que sentimos é que no período eleitoral tem muitas inverdades que são repetidas ao infinito até se tornarem algo que é tido como uma verdade, mas que os dados não mostram isso. Por exemplo, a inflação voltou no país. Não é verdade, nunca voltou ao patamar do governo FHC. Outra coisa: os empregos não estão desaparecendo, foi o crescimento de novos empregos que desacelerou. São duas coisas diferentes”, explica a diretora de estratégia da Agência Pública, Natália Viana.
 
Também, por conta das eleições 2014, surgiu o Projeto Brasil, desenvolvido por uma startup. Na plataforma, os eleitores podem comparar as propostas de dois presidenciáveis sobre diversas temáticas. Além disso, com a funcionalidade do Teste Cego, o internauta atribui notas para propostas sem saber de quem são e o sistema identifica quais candidatos e planos de governos representam melhor as convicções políticas.
 
“Nossa inspiração foi a crise de representatividade no âmbito da democracia brasileira e até mundial. A eleição é uma parte importante do processo político, então resolvemos aproveitar para lançar o projeto”, conta o cofundador, Lucas Marques. A equipe do projeto começou a catalogar as propostas de cada candidato quando os partidos protocolaram os documentos de referência no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em 5 de agosto. “Para categorizar e diferenciar o que realmente é uma proposta de uma intensão, escolhemos 15 temas”, explica ele.
 
Mar de informação
Dentro de um ambiente com muita informação como a internet, Natália acredita que é importante sempre pesquisar e buscar fontes oficiais. “Desconfie sempre de todos os canais e inclusive da Agência Pública. Importa muito saber o que é um dado correto e o que é a opinião daquele veículo ou site. A internet tira o mito de que apenas um local tem a verdade absoluta.”
 
Para Marques, o problema dos sites oficiais é que eles não são agradáveis para navegar. “Não tem usabilidade, são complicados de entender. Por isso, torna mais fácil a leitura dessa informação e melhorar o engajamento do cidadão é um dos nossos objetivos”, diz. No site do projeto, já foram feitas mais de 800 mil avaliações das propostas dos candidatos. Desde o lançamento do site, em 15 de agosto, os acessos chegaram a 70 mil, até a última semana.
 
Ainda, ele admite que entender os processos eleitorais e políticos não são fáceis. “Se eu pudesse dar uma dica, diria para que começassem a olhar mais os candidatos pela ótica das propostas”, pontua. Natália faz uma análise por uma perspectiva semelhante. “Na minha opinião, a coisa mais importante ainda é ler o programa de governo. A partir dali, fica mais perceptível os rumos que o candidato quer para o país.”
 
OUTRAS INICIATIVAS:
 
– Quem financia
O Projeto Brasil criou um plug-in para o navegador Chrome chamado Quem Financia, para permitir que o usuário visualize quem são os principais doadores de campanha dos candidatos. Após instalado, o recurso identifica no site acessado o nome de um candidato que fica escrito com um cifrão ao lado. Passando o mouse sobre a palavra, aparecem os dados fornecidos pelo TSE. Mais de 5 mil pessoas já baixaram a ferramenta.
 
– Quem quer virar excelência
Criado pela ONG Transparência Brasil, o Quem Quer Virar Excelência reúne dados de cada um dos 26 mil candidatos que disputam cargos nas eleições 2014, como as ocorrências registradas na Justiça relacionadas aos candidatos, históricos pessoais e de candidaturas, além das relações dos seus principais doadores de campanha.
 
– Meu Congresso Nacional
Desenvolvido com apoio da Universidade Federal de Pernambuco (Ufpe), o site reúne dados públicos sobre os gastos de parlamentares, além de verificar a frequência dos legisladores nas sessões, em quais comissões estão atuando e que projetos propuseram durante a legislatura.
 
– Você Fiscal
O aplicativo convoca os eleitores para ajudar em uma apuração paralela no dia da votação. O projeto é do professor Diego Aranha, do Instituto de Computação da Unicamp. Ele pretende coletar informações para avaliar a segurança da votação com urnas eletrônicas. A ideia é que os eleitores utilizem o aplicativo para tirar e enviar fotos do chamado Boletim de Urna. 

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Memes ajudam a desenvolver interpretação de texto e pensamento crítico

No Rio Grande do Sul, professora usou recurso para discutir tipos de violência com alunos

Professor de educação física inova ao combinar esporte e cinema no Rio Grande do Norte

Filmes são utilizados para discutir questões de gênero, ética e racismo nas escolas

Sambas-enredo podem ser ferramentas para ensinar história e literatura em sala de aula

No Pará, professor analisa contribuições da cultura afro-indígena a partir de obras carnavalescas

Receba NossasNovidades