O Brasil tem observado, nos últimos anos, um forte aumento no número de imigrantes que chegam ao país. Isso traz uma questão adicional para as escolas públicas, que recebem cada vez mais alunos estrangeiros e precisam estar preparadas para fazer o acolhimento dessas crianças e jovens.

De acordo com dados do Censo Escolar, entre 2008 e 2016, o número de matrículas de estudantes de outras nacionalidades em instituições de ensino brasileiras mais do que dobrou, passando de 34 mil para quase 73 mil. Miriam Debieux Rosa, professora do curso de psicologia da USP e coordenadora do Grupo Veredas – Psicanálise e Educação, argumenta que a entrada de meninas e meninos estrangeiros na escola pública é um desafio.

“Ela está em um lugar novo e enfrentando novas relações: uma outra língua e outra cultura. É preciso pensar como permitir que a criança, com as suas diferenças, possa, de fato, pertencer e ser bem recebida nesse ambiente escolar.”

Na entrevista, a pesquisadora comenta os desafios para o acolhimento de alunos imigrantes, fala sobre como lidar com as diferenças culturais e ressalta a importância da valorização das culturas dos países de origem para a integração dos estudantes ao novo ambiente.

*Acesse a cartilha “1º Documento Orientador: Estudantes Imigrantes” (citada ao final do vídeo).

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Escola em Guarulhos usa conselho de alunos para tomar decisões pedagógicas e administrativas

Situação-problema: como propor exercícios que desafiem os alunos

“A zoeira é algo que faz parte dos estudantes”, afirma pesquisador da Unifesp

Receba NossasNovidades