“Eu escolhi ser feliz”, afirmou o recordista paralímpico Daniel Dias ao contar como superou os preconceitos nos tempos da escola. O nadador também relembrou da relação com os colegas na sala de aula, além da adaptação para participar das atividades, como jogar futebol nas aulas de educação física.

 
O atleta sempre estudou em turma regular da escola pública. Professores, colegas e Daniel aprenderam juntos a encontrar maneiras de driblar a falta de condições do ambiente escolar. "Aprendi que poderia fazer o que todo mundo fazia na escola, mas do meu jeito.”
 
Em novembro, a emoção dos jogos está de volta. O Centro Paralímpico Brasileiro, em São Paulo (SP), vai receber mais uma edição das Paralimpíadas Escolares. A competição reúne estudantes com deficiência de 12 a 17 anos de todo o país, para a disputa de dez modalidades esportivas. É o maior evento do paradesporto escolar do mundo.
 
Veja os outros blocos com a entrevista do Daniel Dias:

Assista outros programas do NET Educação:
 

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

“A zoeira é algo que faz parte dos estudantes”, afirma pesquisador da Unifesp

Alunos criam planos de aula a partir de letras de rap

Saiba como orientar a realização de pesquisas

Receba NossasNovidades