Conteúdos

 Análise dos corpos que afundam ou flutuam e as razões pela qual isso ocorre.

Objetivos

• Desenvolver postura investigativa durante as atividades propostas.

• Vivenciar atividades de flutuabilidade dos corpos, de forma a compreender as variáveis envolvidas como o objeto; densidade do líquido em que está imerso; empuxo da água. 
•Verificar que existe uma força que empurra os objetos de baixo para cima, fazendo-os flutuar.
 

1ª Etapa: Início de conversa

É muito comum as crianças pensarem que a capacidade de flutuar está relacionada ao tamanho e peso dos objetos. Dessa forma, esse tema pode proporcionar boas situações de pesquisa científica em sala de aula, pois durante as experiências os alunos poderão ser mobilizados a manipularem diferentes objetos, observá-los e compará-los. Além de propiciar uma aproximação dos alunos com a questão da flutuabilidade dos corpos. 

2ª Etapa: Flutua ou afunda?

•Selecione previamente objetos para as experiências: você poderá levar para essa experiência lápis, tampa de caneta, pedra, frutas, tesoura, entre outros objetos que preferir

• Inicie a aula conversando com os alunos sobre a primeira experiência que será proposta. Entregue a cada aluno um quadro como o modelo abaixo:

 

                                         MATERIAL                                     HIPÓTESE INICIAL                                     CONSTATAÇÃO

 

 

 

• Posteriormente, apresente a eles os objetos escolhidos e solicite que escrevam seus nomes na primeira coluna da tabela. Solicite também, que anotem na segunda coluna, o que acham que vai acontecer com cada objeto quando forem colocados na água, flutuar ou afundar.

• Quando todos tiverem concluído a escrita de sua hipótese inicial, convide os alunos a testarem em um recipiente grande com água a flutuabilidade dos objetos selecionados. A atividade pode ser realizada com o conjunto dos alunos ou em grupos. Um objeto por vez deverá ser colocado na água e, após a constatação se ele flutua ou afunda, os alunos escrevem a resposta correta na terceira e última coluna da tabela.

• Como essa atividade inicia a aproximação com o tema, o professor poderá fazer algumas perguntas aos alunos para que reflitam sobre o tema como: 

– Como são os objetos que afundaram?

– O que eles têm em comum?

– Como são os objetos que flutuaram?

– O que há em comum entre eles?

– O que há de diferente entre os objetos que afundaram e os que flutuaram?

• Após a conversa sobre o tema, o professor deverá solicitar que os alunos ditem a ele um pequeno texto sobre suas constatações para ser utilizado na próxima etapa que é a de verificação das hipóteses.

 

3ª Etapa: Influência da forma

• Nessa experiência, pergunte aos alunos que aspectos do objeto influenciam em sua flutuabilidade, por exemplo, forma e peso. Anote as hipóteses levantadas por eles e proponha um teste relacionado à forma de um mesmo objeto.

• Entregue aos alunos dois pedaços idênticos de massa de modelar e solicite que façam uma bolinha e um “barquinho”. Em seguida, os questione sobre o que eles acham que irá acontecer com esses dois moldes quando colocados no recipiente com água. Novamente, registre as hipóteses levantadas por eles e faça o teste.

• Ao final da experimentação, converse com o grupo sobre o que aprenderam nessa etapa e solicite que registrem por meio de desenho ou escrita o que compreenderam com a experiência.

 

4ª Etapa: Influência do peso

• O professor deverá questionar agora os alunos a respeito do peso dos objetos e sua influência sobre a flutuabilidade deles. Mostre a turma dois potinhos de plástico idênticos e pergunte se eles acham que os potinhos flutuarão ou afundarão na água. Após o levantamento das hipóteses deixe que os alunos observem e manipulem os potes fechados e abertos.

• Em seguida, proponha a verificação colocando os dois dentro do recipiente com água. Quando eles perceberem que os potinhos flutuam, o professor deverá solicitar aos alunos que, em duplas, escrevam o que poderia ser feito para que os objetos afundassem. 

• Cada dupla ficará responsável por apresentar sua hipótese para o grupo e testá-la, para isso o professor deverá deixar disponível na sala uma diversidade de materiais que poderão ser utilizados por eles durante a experiência, tais como pedras, grãos de feijão, pregos, entre outros.

• Diante do que foi observado, propicie um espaço de debate entre os alunos e solicite que ditem a você um texto com as conclusões sobre o experimento.

 

5ª Etapa: Influência da água (empuxo)

• Depois de testadas e discutidas as influências da forma e do peso dos objetos em sua flutuabilidade, questione os alunos sobre por que parecemos mais leves quando estamos em uma piscina, por exemplo. Chame a atenção deles para a questão da força que a água exerce sobre os corpos e proponha uma nova experiência.

• Pergunte aos alunos o que irá acontecer se colocarem um potinho tampado na água e o empurrem ao fundo. Depois que verbalizarem o que acham realize a experiência. Aqui espera-se que os alunos percebam a força da água agindo sobre o objeto.

• Posteriormente, encaminhe as discussões para incorporar novos conhecimentos, questionando-os se a água age apenas sobre os objetos que flutuam ou sobre todos? Caso os alunos digam que ela só age sobre os que flutuam, utilize o exemplo de ser mais fácil levantar uma pessoa dentro da água do que fora dela.

 

6ª Etapa: Construindo um densímetro

• Como última experiência, pergunte aos alunos se a flutuabilidade de um objeto é a mesma em líquidos diferentes. Para responder essa pergunta, construa com os alunos um densímetro com canudo e massa de modelar, você encontra o passo a passo no item “Para organizar seu trabalho e saber mais”.

• Separe dois recipientes um com água e outro com água e sal. Solicite que coloquem seu densímetro no recipiente com água e registrem com uma caneta no canudo a altura que ele atingiu na superfície do líquido, depois peça que repitam a experiência agora no recipiente com água e sal e façam também a marcação no canudo com outra cor de caneta. Em seguida, estimule um debate a respeito da experimentação, explicando que a densidade da água salgada é maior, por isso temos maior facilidade para flutuar no mar do que no rio.

 

 

7ª Etapa: Concluindo as experimentações

Ao final de todas as experiências, converse com os alunos sobre o que aprenderam a respeito da flutuabilidade dos corpos e peça que registrem suas conclusões por meio de desenho ou escrita. Esse material poderá ficar exposto na sala junto com os textos coletivos criados em algumas das etapas propostas.

Materiais Relacionados

1. Para saber mais sobre flutuabilidade dos corpos acesse o link http://ciencia-em-si.webnode.pt/products/principio-da-flutuabilidade/

2. Para saber o conceito de densidade acesse o link http://www.significados.com.br/densidade/
4. Para organizar seu trabalho aprenda a construir um densímetro com seus alunos no link: http://www.proenc.iq.unesp.br/index.php/quimica/95-construindo-um-densimetro
 

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Canudos: Primeira República – os conflitos

Entenda a origem dessa guerra e também sobre o Coronelismo no Nordeste do Brasil

Avatar Autor: Júlia Bittencourt

Realidade indígena no Brasil

Plano de aula aborda parte da história dos povos nativos do país

Avatar Autor: Júlia Bittencourt

Fluxos migratórios: Movimentos populacionais

Entenda quais são os motivos e as questões geográficas envolvidas nas migrações

Avatar Autor: Professora Júlia Bittencourt

Alfabetizando com a biografia do Ziraldo

Saiba como utilizar a história do autor para ensinar a escrever e ler

Avatar Autor: Professora Iracema Mendes Santos Alves

Receba NossasNovidades