Conteúdos

Guerra dos Seis Dias; Estado de Israel; Palestina; Pan-arabismo; Gamal Abdel Nasser; Cisjordânia; Colinas de Golã; Estreito de Tiran; Península do Sinai; Faixa de Gaza.

Objetivos

– Compreender o contexto histórico, político, econômico, cultural e social da Guerra dos Seis Dias;
 
– Compreender a Guerra dos Seis Dias como um dos marcos do conflito árabe-israelense;
 
– Compreender as causas e os diferentes discursos dos países envolvidos;
 
– Compreender os motivos e impasses para a resolução do conflito israelo-palestino;
 
– Refletir sobre mediações e encaminhamentos possíveis para o processo de paz.

1ª Etapa: Procedimentos de Leitura e de Pesquisa

Primeiramente, peça aos alunos que leiam individualmente ou em duplas o texto Guerra dos Seis Dias [link 3], grifando as informações ou conceitos que eles julgam importantes, orientando-os a pesquisar palavras, fatos ou acontecimentos desconhecidos em dicionários ou na internet. Enfatize a necessidade de se pesquisar com mais detalhes o evento da criação do Estado de Israel, sancionada em 1948 pela Organização das Nações Unidas (ONU). 

 

Em um segundo momento, divida-os em grupos de quatro ou cinco e solicite que leiam o texto Cronologia do conflito entre israelenses e palestinos [link 5]. Peça que grifem as informações que mais despertou a curiosidade ou atenção por parte do grupo. Em seguida, oriente-os para que preencham uma linha do tempo, cujo título é Os conflitos árabes israelenses [link 6]. Dessa forma, possibilita-se uma leitura mais completa do conflito de 1967, já que permite uma análise processual dos conflitos árabes israelenses, encarando-os como um processo histórico de longa duração. A Guerra dos Seis de 1967, desse modo, é apenas mais um capítulo do longo filme dos conflitos entre árabes e israelenses, estes, que por sua vez, estão longe de uma resolução e/ou acordos de paz.

2ª Etapa: Elaboração de uma Linha do Tempo (Painel Coletivo)

Depois das leituras e da elaboração das linhas do tempo, proponha uma construção coletiva da cronologia dos conflitos árabes israelenses. À medida que os grupos vão intervindo e colaborando com a construção dessa linha do tempo, explique os eventos e os conflitos, ressaltando a importância de tal fato/acontecimento/conflito para o conjunto do processo. Além disso, fomente o surgimento de dúvidas, de possíveis estranhamentos, de curiosidades etc. 

 

Abaixo seguem alguns acontecimentos-chaves para uma compreensão mais global dos conflitos árabes israelenses:

– 1914: fim do império otomano;

– 1920-1948: mandato britânico;

– 1948: criação do Estado de Israel e a perda de território por parte dos palestinos;

– 1967: Guerra dos Seis Dias;

– Anos 90: processo de paz e seu fracasso em Camp David nos anos 2000.

 

Essa cronologia poderá ser realizada em uma lousa (computador e projetor) ou em um painel de papel craft ou mesmo em uma lousa convencional. No caso desta última, assim que finalizada a cronologia, o registro poderá ser feito através de uma fotografia e, depois, compartilhada com a sala. 

 

Por fim, utilizando o mapa [link 8], explique o processo histórico em torno da configuração territorial do Estado de Israel e do Estado Árabe (1948-2009).

3ª Etapa: Sistematização do Conteúdo – Exibição de Vídeo

Depois de finalizada a cronologia coletiva dos conflitos árabes israelenses e da explicação sobre a configuração territorial, exiba o vídeo a Guerra dos Seis Dias – Nerdologia [link 4]. O vídeo servirá de sistematização do conteúdo e, desse modo, os alunos deverão ser orientados quanto ao registro de informações extras e de possíveis dúvidas, para serem solucionadas à posteriori.

 

O vídeo tem a preocupação de ressaltar as diferentes narrativas em torno da Guerra dos Seis Dias, mostrando a complexidade da questão quando levantamos as possibilidades de um cessar fogo e/ou acordos de paz. Para além da questão territorial, os conflitos encerram discursos e justificativas religiosas totalizantes, no qual faz parte a anulação do outro para a plenitude do Estado, árabe ou israelense, e da sua religião subjacente, daí a dificuldade de promover o diálogo e encaminhamentos para a resolução do conflito.

4ª Etapa: Levantamento de Argumentos - Exibição do Documentário

Para uma maior compreensão dos discursos religiosos que envolvem os conflitos árabes israelenses, assim como o conflito atual entre Israel e a Palestina, exiba o documentário Promessas de um novo mundo [link 11]. O objetivo é levantar/registrar os argumentos utilizados pelas partes apresentadas no vídeo (judeus não observantes; judeus observantes e árabes palestinos). 

 

SINOPSE: Retrata a história de sete crianças israelenses e palestinas em Jerusalém que, apesar de morarem no mesmo lugar vivem em mundos completamente distintos, separados por diferenças religiosas. Com idades entre 8 e 13 anos, raramente elas falam por si mesmas e estão isoladas pelo medo. Neste filme, suas histórias oferecem uma nova e emocionante perspectiva sobre o conflito no Oriente Médio. [link 12]. 

 

CRÍTICA: “A mudança vem de baixo: lições de ‘Promessas de um novo mundo’”- Marcelo Gruman – Carta Maior: Documentário retrata as opiniões de crianças palestinas e israelenses sobre os conflitos entre os dois povos e como se formam os discursos de ódio [link 13]. 

 

Para ajudar no registro dos alunos, confira o modelo de tabela no documento anexo.

 

Esta etapa do trabalho é de fundamental importância para compreendermos os argumentos que sustentam o não-diálogo por ambas as partes, um obstáculo para as negociações de paz. O filme, por sua vez, mostra-nos que ao se colocar no lugar do outro, através do encontro, do diálogo, da escuta – um verdadeiro processo de alteridade -, é possível ter uma relação mais respeitosa e tolerante. 

 

Esse levantamento de argumentos é importante para a próxima etapa do trabalho, pois é a partir destes e dos elementos anteriormente estudados, que se proporá soluções para o conflito, em uma simulação de reunião do Conselho de Segurança da ONU.

5ª Etapa: Produto - Simulação do Conselho de Segurança da ONU

Depois de realizada a etapa do registro dos discursos, das narrativas e argumentos utilizados pelos israelenses e árabes, apresente aos alunos o mapa [9], evidenciando os problemas colocados ao presente quanto aos acordos de paz na região. Depois apresente o site da Organização das Nações Unidas (Brasil) – ONUBR [10], especificadamente a parte explicativa sobre o Conselho de Segurança da ONU, retomando o histórico de formação do Estado de Israel em 1948, assim como as consequências desse ato. 

 

A partir da explicação e discussão sobre os objetivos do Conselho de Segurança, escolha dois alunos para serem representantes/mediadores da reunião e divida o restante da sala em cinco grupos. O objetivo é simular uma reunião do conselho, cujo tema a ser debatido é “Propostas para a resolução do conflito entre Israel e Palestina”. O caráter da atividade requer uma postura mais reflexiva e ativa, pois para além de uma análise mais detalhada do conflito, objetiva-se a formulação de proposições para a efetivação da paz. 

Dessa forma, a sala dividida em cinco grupos representará, respectivamente, os países membros permanentes: Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Rússia e China. Para fins didáticos, não representaremos os outros 10 países não-permanentes.

 

Os grupos divididos, oriente os alunos a eleger dentro de cada grupo, um representante do país membro em questão, pois será ele ou ela quem ocupará a cadeira do conselho. Desse modo, o trabalho em grupo com divisões de tarefas será fundamental, para não sobrecarregar o representante e/ou alijar os demais dos processos de decisórios e, principalmente, dos estudos. Estes alunos poderão ajudar no registro das discussões com a finalidade de completar a ata final da reunião.

 

Confira o modelo de tabela no documento anexo.

 

Essa atividade poderá ser aberta à toda comunidade escolar, já que propõe uma reflexão de um conflito atual. De outro lado, exige uma postura mais comprometida dos alunos participantes quanto à temática a ser discutida.

Materiais Relacionados

1 – OREN, Michael B. Seis dias de guerra: Junho de 1967 e a formação do moderno Oriente Médio. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004;
 
2 – “O Conflito Israel-Palestina: Origens, desdobramentos e tentativas de resolução” – Cursos USP: Curso de pós-graduação [Primeiro semestre de 2015] – Professor: Peter Robert Demant;
 
3 – Guerra dos Seis Dias – Mundo Educação – publicado por Cláudio Fernandes;
 
4 – Vídeo “Guerra dos Seis Dias – Nerdologia – 242”;
 
5 – Cronologia do conflito entre israelenses e palestinos – Folha Online – 15/03/2007 – 16h06;
 
 
  
 
 
10 – Organização das Nações Unidas (ONU) – “Conselho de Segurança”;
 
 
 
13 – Crítica ao filme “A mudança vem de baixo: lições de ‘Promessas de um novo mundo’” – Marcelo Gruman – Carta Maior: Documentário retrata as opiniões de crianças palestinas e israelenses sobre os conflitos entre os dois povos e como se formam os discursos de ódio.

Arquivos anexados

  1. Guerra dos Seis Dias

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Classificação dos climas brasileiros

Plano de aula permite compreender fatores que influenciam a climatologia

Avatar Autor: Leonardo Moreno Domingues

Teorema de Pitágoras e um chute no travessão

Material possibilita fazer cálculos aproximados de distância e velocidade média utilizando o futebol como exemplo

Avatar Autor: Amanda Oliveira Calazans

Abolição da escravatura no Brasil

Material possibilita estudar o assunto como resultado de processo envolvendo diversos agentes e fatores

Avatar Autor: Suzane Jardim

Question Tags

Aprenda dicas, casos especiais e exceções para utilizar esses complementos da língua inglesa

Avatar Autor: Leonardo Moreno Domingues

Receba NossasNovidades