Preconceito, violência e exclusão são palavras que fazem parte da rotina de mulheres transgêneros e transexuais. Essa realidade coloca o Brasil no topo do ranking da violência contra o público LGBTQ, segundo dados de pesquisa realizada pela ONG Transgender Europe. Vítimas de diversos tipos de violência desde muito cedo, muitas dessas mulheres se veem sem alternativas e acabam vivendo nas ruas.

Inaugurado em 2016, o Centro de Acolhida para Mulheres Trans Florescer, localizado em São Paulo (SP), tenta ajudar a reverter essa realidade e promover o empoderamento, o combate à discriminação, a quebra de estereótipos. Dentre as atividades da instituição, estão o encaminhamento para serviços de saúde e de educação, bem como a inserção de mulheres trans no mercado de trabalho.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Apropriação e transformação de espaços públicos são impulsionadas por ONG

Homicídios no Brasil: o que explica as elevadas taxas de violência?

Mulheres que sofrem violência são acolhidas em ONG abrigo

Receba NossasNovidades