O Brasil está em 13º lugar entre as nações que mais produzem artigos científicos no mundo. Contudo, o país é medalha de ouro em relação à porcentagem deste conteúdo que fica disponível gratuitamente via internet. O levantamento foi realizado pela empresa norte-americana Science-Metrix, que monitora atividades ligadas à ciência e à tecnologia.

Dos artigos publicados em periódicos brasileiros, 74% têm acesso aberto. O fenômeno se deve em grande parte ao SciELO (Scientific Electronic Library Online), que reúne 283 periódicos brasileiros e por volta de mil de outros países.

Nos Estados Unidos, a nação com maior produção científica no mundo, dois terços dos artigos publicados têm acesso aberto gratuito. Esse tipo de publicação não é homogêneo em todas as áreas do conhecimento, tendo preponderância em ciências da saúde e ciências naturais, mas traz benefícios em todos os campos.

Segundo a pesquisadora do Instituto Educadigital, Priscila Gonsales, a disponibilização de conteúdos científicos abertos também impacta positivamente no ensino básico do Brasil. “Fazer com que essas pesquisas tenham mais impacto social está a serviço da melhoria da qualidade da educação”, explica. “No caso da escola, é fundamental desenvolver uma cultura entre alunos e professores, evidenciando a ciência aberta, o conceito de criar e compartilhar com licenças abertas e disseminando os conhecimentos para que possam inspirar outros conhecimentos“, destaca.

Com Agência Fapesp

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

wpDiscuz

Talvez Você Também Goste

Notícias

E-book mostra como pesquisar documentos históricos no acervo virtual do Museu da Imigração

Publicação ajuda a esclarecer mitos relacionados aos imigrantes do século XX

há 1 semana
Notícias

Para brasileiro, qualidade do professor é principal fator na escolha da escola

Pesquisa realizada em 29 países mostra percepção de famílias sobre educação

há 8 meses
Notícias

Respeito à diversidade é consenso entre defensores e opositores da Base Nacional Curricular

“Debate está na contramão do conservadorismo”, diz o coordenador da pesquisa, Antônio Batista

há 3 anos
Notícias

Falecida há 100 anos, Anália Franco militou pelo acesso de mulheres e negros à educação

Educadora fundou associação feminina que organizava escolas, materiais didáticos e pensava aprendizagem

há 2 dias

Receba NossasNovidades